terça-feira, 24 de setembro de 2013

Sedento por atenção.

Seus pais sabem
que você anda por aí
chutando lixeiras
exagerando na cerveja?

E seus amigos, eles te entendem
quando você só esbraveja
sobre incompreensíveis sujeiras
da cena punk, política carioca

E me diz, sua namorada, ela sabe
de como você faz tudo de propósito
querendo fugir do ócio
desesperado por um atestado de óbito?

terça-feira, 17 de setembro de 2013

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

E se eu sumisse?

Já parou pra pensar se eu sumisse? Se você ligasse, ligasse e ligasse e eu não atendesse; ou se você batesse e batesse na porta da minha casa e ninguém abrisse? Nenhuma mensagem, nenhum cartão postal, nada. E se fosse de propósito? Você ia pensar, procurar todas as palavras que você nunca me disse porque sempre achou que teria outro dia... e se agora você não tiver mais? Onde eu estou, onde eu fui parar? Você teria vontade de ir atrás de mim ou você consegue se acostumar com o silêncio da minha ausência? Será que você não vai sentir falta do meu calor à noite, do suor quando os nossos corpos... nada? Você ia se conformar assim ou ia sentir saudade, a ponto de doer? Só de pensar, já te deu um aperto no peito, um medo indescritível, uma vontade de me invadir, tomar-me em teus braços e não me deixar sequer respirar? Você tem vontade de mim? Você me quer, não só por perto, mas pra você, quase como uma posse? Você já parou pra pensar que eu sou uma pessoa e pessoas vão e voltam? E que talvez eu não queira me sentir abandonada e que eu precise de você? E se quando você perceber isso for tarde demais? E se acabar? Tenho medo: já pensou que eu não posso esperar você achar as palavras depois de eu ir? E eu cansar... e se você cansar? Não me deixa ir embora, eu quero ficar. Fica? Eu te imploro, vê se me implora. Vê se não demora!

quarta-feira, 4 de setembro de 2013